« Firefox 0.8 | Inicio | Pseudo-férias »

fevereiro 9, 2004

Linux em 2004?

Este ano, 2004, pode ser o que passarei a utilizar o Linux como meu ambiente efetivo de trabalho. Venho há muito tempo tentando migrar, mas sempre há um aplicativo mais ineficiente ou algum bug ou coisa sem sentido no gerenciador de desktop que acaba me arrastando de volta ao Windows.

Este post ficou grande, de modo que coloquei-o separado. Clique abaixo para ler mais.

Este ano, 2004, pode ser o que passarei a utilizar o Linux como meu ambiente efetivo de trabalho. Venho há muito tempo tentando migrar, mas sempre há um aplicativo mais ineficiente ou algum bug ou coisa sem sentido no gerenciador de desktop que acaba me arrastando de volta ao Windows.

Os motivos eu cito adiante, mas é bom salientar que não sou contra o Windows nem nada. Muito pelo contrário, acho que é um sistema operacional bastante robusto (estou falando do XP), usável e eficiente. Mas não dá para deixar de notar que, se o Longhorn não trouxer tudo que promete, o Windows pode acabar obsoleto em alguns anos. E eu não quero esperar isso acontecer para me ambientar no novo sistema operacional padrão, que eu suponho que seja o Linux a menos que a Apple resolva tornar o MacOS X muito mais barato do que é hoje e conseguir empurrar seus Macs para as massas. Ou Steve Jobs conseguir estender seu carisma para os menos de 2% de fatia de mercado. O que é improvável, apesar de possível.

Dito isso, aqui estão os motivos que me poderão me fazer migrar para o Linux em breve:

1) KDE 3.2. O KDE sempre foi meu ambiente favorito, mas também sempre foi um tanto pesado, com um tempo de resposta na interface que me incomodava, além de uma organização geral quase inexistente. O KDE 3.2 parece ter corrigido muita coisa e muita gente anda comentando como está mais rápido. Este ano a guerra entre KDE e Gnome parece estar esquentando e o novo Gnome tem tudo para ser tão bom quanto o KDE. Com um ambiente decente, tudo que preciso são bons aplicativos.

2) Thunderbird 0.5. Parece bobagem, mas o Outlook Express me deixa bastante preso ao Windows. Primeiro, por que já tenho quase uma centena de filtros configurados, que me dariam muito trabalho para refazer em outro cliente. Segundo, por que é um gerenciador de e-mails muito bom: ele é rápido, estável e bonito. Mas parou no tempo. Não há opção para checar múltiplas contas ao mesmo tempo, então quando uma tranca tudo pára. E não há filtros ativos de spam. Assim, tenho olhado com bons olhos para o Thunderbird, mas seu sistema de organização de pastas, onde há caixas separadas para cada conta, sempre me deixa com um pé atrás. O Thunderbird 0.5 parece se afastar um pouco mais disso, pelo menos permitindo associar mais de um endereço a uma conta. Talvez na versão final eles ajeitem tudo.

3) Quanta e Nvu. Outro aplicativo que me prende no Windows é o Dreamweaver MX. Para criar aplicativos e páginas web, não há nada como ele. Pelo menos ainda. Mas o caminho já está trilhado para surgir algo semelhante para o Linux. Tanto o Quanta como, mais recentemente, o Nvu parecem promissores nesse sentido. Em especial, o Quanta está bastante maduro, apenas faltando a flexibilidade WYSIWYG que o Dreamweaver oferece, mas eu a cada dia utilizo menos essa função, o que me tornaria apto a abandonar o Dreamweaver.

4) Mono. Eu pouco tenho utilizado o sistema .NET da Microsoft, mas é um sistema bastante bom, integrado e interessante. Mono é a contra-parte Linux do ambiente .NET, incluindo compilador C# e a máquina virtual. Cito ele aqui simplesmente por que aqui deveria estar o Kylix, que parou no tempo e eu preciso, de vez em quando, de um ambiente mais completo que o gcc e jed. Agora só me falta um ambiente RAD para C#.

5) OpenOffice 1.1. Por que todo mundo precisa abrir um documento Word ou Excel de vez em quando. O OpenOffice 1.1 dá largos passos em compatibilidade e performance, que retomam minha confiança nesse projeto.

6) Gimp. Photoshop continua reinando tanto em performance quanto em recursos para manipulação de bitmaps, mas o Gimp avança rápido e é excelente para o usuário comum e razoável para o usuário intermediário. A usabilidade é penosa, mas basta lembrar o preço do Photoshop para compensar.

7) Matlab. Descobri que existe Matlab para Linux! É o fim deste maldito Octave.

E, apenas para manter a briga justa, alguns motivos, em ordem decrescente de prioridades, que me fazem querer continuar com o Windows:

1) Hibernação. O sistema de hibernação do Windows XP é um espetáculo. Ele me permite não deixar o computador 24hs ligado e é particularmente útil para o notebook. Ter o desktop e os aplicativos exatamente como eu os deixei ao desligar o computador é possivelmente o maior avanço em usabilidade já feito desde a invenção, não importa por quem, das janelas e ícones. E o mouse, claro. Não há nenhum sistema de hibernação para Linux, até onde sei.

2) Jogos. A menos que eu me contente com Frozen Bubbles para o resto da minha vida, simplesmente não dá para utilizar o Linux como plataforma para jogos. O DirectX do Windows é bastante funcional e é a escolha de facto da indústria. O Linux não chega nem perto.

3) CorelDraw. Não há aplicativos para manipulação de gráficos vetoriais para Linux como o CorelDraw. Mas há um CorelDraw 9 para Linux, apesar da Corel negar atualmente. Porém, este utiliza o Wine em boa parte de sua estrutura, tornando-o uma carroça. Outras opções incluem Karbon14, Sodipodi e Sketch, mas todos ficam atrás em recursos. Tenho confiança de que isso é um problema temporário, naturalmente.

4) Access. Para quem, como eu, tem que desenvolver algumas aplicações ASP integradas com bancos de dados em Access a falta de um ambiente em que se possa manipular este tipo de arquivo é problemática.

A matemática parece clara, 7 contra 4 motivos, mas esconde um problema crucial: todos os motivos para usar Linux são unicamente "tapa-buracos", isto é, funcionalidades que se equiparam ao que eu uso no Windows. O fato do Linux ser de graça (coisa que parece estar mudando) influencia pouco, se um produto pago é realmente melhor, não me importo de pagar por ele. O que realmente faz pesar na decisão de migrar para o Linux é taxa de avanço. Isto é, o Linux e seus aplicativos tem tido uma taxa de avanço muito grande nos últimos tempos. O período é pequeno entre versões novas e funcionalidades são acrescentadas a cada versão. Deste ponto de vista, a matemática é clara mesmo: mesmo que o Linux esteja abaixo do Windows atualmente, com sua atual taxa de crescimento não demorará para alcançá-lo e ultrapassá-lo. E, como eu disse no início, não quero esperar este momento para participar.

Porém, nada indica que o Linux se tornará uma plataforma viável para jogos. Como um X-Box anda o preço de uma licença Windows, há uma solução...

11 comentarios

Update: http://swsusp.sourceforge.net/ parece permitir hibernação no Linux. Vou conferir.

Sim, o kernel 2.6 trouxe inúmeros melhorias no código do ACPI. Faz tempo que eu já uso o linux como desktop padrão. Uso o debian instável, todo dia tem uns 20 megas de atualização. O desenvolvimento das coisas anda rápido, o gnome 2.4 está muito bom. Quanto aos jogos, depende. Se tu queres rodar jogos velhos de DOS, tem um pacote chamado dosbox. Se tu queres rodar os RPG's da Lucas Arts, tem um programa chamado scummvm. Se tu queres jogar jogos de windows, tem uma versão modificada (paga) do wine, chamada wineX, nunca testei, mas dizem que funciona que é uma beleza. Mais jogos: emuladores. Tem todos. Snes, nes, master system, mega drive, neo geo, gameboy.
Atualmente, ando de saco cheio de computadores e novas tecnologias, acho tudo meio chato, não me empolgo mais. Minha necessidade primeira num computador passou a ser MP3 e DivX. Nisso, estamos bem servidos. Não vi nenhum outro software, de qualquer outro sistema operacional, que seja melhor que o cdparanoia para extrair áudio de um cd. O troço fica tentando ler um CD arranhando até conseguir um resultado impecável, e consegue. Para DVD, tem o excelente mplayer e o dvd::rip ;).
Jogos, eu só jogo velharia mesmo. Não programo. Não mexo com fotos e gráficos. O openoffice supre MAIS do que a minha necessidade, me contento com o abiword. Pra e-mails, sugiro o sylpheed-claws. Cara, o Outlook express e Internet Explorer são uma porta aberta de viruzinhos de macro e spywares. É boçal o troço. E pra navegar na web nem thunderbird, nem mozilla, nem nada. Se tu usar o Gnome, sugiro o ótimo galeon, que usa o gecko.
Finalizando, admito que tenho o windows instalado. De vez enquando eu jogo GTA3 e The Sims. E tem AP Guitar Tuner que eu uso no windows pra afinar o baixo. Até agora não vi outro igual p/ unix, mas isso já está se tornando dispensável pois basta afinar o baixo usando um Ramones :)

bom, o mac é caro, tudo bem. mas ele tem todos os aplicativos que tu citaste que poderias querer substituir, é uma plataforma que dá pra jogar bem e ainda roda sobre um unix. se eu nao me engano tem ateh outlook pra ele.

sei lah, sem querer ser macmaniaco, acho q eh um bom sistema. mas eh caro demais mesmo.

pretendo instalar o panther no maximo amanha.

Eu nao entendo nada disso. Mas se estas fazendo deve ser bom
hehehe

se alguem souber de alguem que queira comprar HQ da Marvel, to vendendo, tem muuuuitas e umas séries especiais.... nippoz@pop.com.br

Eu queria usar o linux também, por curiosidade. Só falta instalar e aprender heheheheh

Ricardo, concordo com o Bruno no sentido que o Mac traz versões nativas (e melhoradas!) de programas que tu precisas. E sendo Unix-based, creio que seria uma alternativa a ser considerada por ti. Além disso, para que usar programinhas que copiam o Exposé no Windows se você pode ter o original! Ei, porque não tentar essa alternativa? :)
OK, sou macmaníaco! Mas é uma plataforma que realmente cativa.

O MacOS não me oferece NADA além do que o Windows me oferece. Aliás, é pior. É uma plataforma fechada, é controlada por uma única empresa que, além disso, controla também o hardware em que o SO roda. Isto é, me limita ainda mais.

O Linux me oferece a maior flexibilidade entre todos os Sistemas Operacionais, pelo menos atualmente. E o preço é bastante competitivo ;)

E tem outro fator: o mercado da Apple caiu para míseros 1.8% ano passado, enquanto o Linux subiu para 3%. A lógica é simples: me especializar em um SO que está crescendo, pagando muito pouco por isso, ou me especializar em um SO caindo em desuso e que eu pago uma pequena fortuna para usá-lo?

Tá, é uma simplificação grosseira, afinal a Apple vai jurar que o mercado dela é outro, não é o usuário final e que eles estão muito bem entre a elite criativa do mundo... :)

Mas eu NÃO sou linuxmaníaco. Ao contrário, eu NÃO gosto do Linux ainda. Um pouco por não entendê-lo, um pouco pela cultura de torná-lo difícil de entender mesmo. Mas não há outra opção viável fora o Windows, que, se eu realmente deixar, vai ser com saudades :)

hehehe, Ricardo, dá para perceber que não és linuxmaníaco! Mas, quem sabe, windowsmaníaco! ;)

De fato, a plataforma mac é pequena no mundo. Mas, a história mostra que nem tudo que tem maioria é melhor ou mais correto!

Além disso, quem usa mac o prefere pois é gostoso de usar... e as coisas funcionam. Claro, muitas coisas funcionam de forma diferente, logo não dá parar querer usar o OS X como se fosse windows. Quanto a ser uma plataforma proprietária, isso pode sim trazer problemas de compatibilidade com hardware de terceiros. Mas, por outro lado, o hardware da apple costuma ser de primeira. Por isso, para que ficar montando franksteins com peças xin-gi-ling? :D Bem, de qualquer forma, as máquinas PRO da Apple (diferentemente dos eMacs e iMacs) facilitam um monte os upgrades. Quanto ao preço, de fato é um assalto aqui no Brasil, pois tudo é importado. Por outro lado, quando se paga mais por um Apple, se tem certeza que ele será uma máquina para o resto da vida.
Enfim, cada um escolhe a sua plataforma predileta. Depende do uso, da forma de trabalho e inclusive de preferência estética. Eu só posso dizer que depois que passei a usar Apple, quase nunca me estresso com o OS ou harware. Creio que o Linux também ofereça isso.

Ao contrário, com Linux é sempre um stress com software e hardware. Cada coisinha que se pluga dá conflito com mil outros módulos, é lindo :)

Sobre esta entrada

Esta página contiene una sola entrada realizada por ricardo y publicada el fevereiro 9, 2004 9:03 AM.

Firefox 0.8 es la entrada anterior en este blog.

Pseudo-férias es la entrada siguiente en este blog.

Encontrará los contenidos recientes en la página principal. Consulte los archivos para ver todos los contenidos.